Medicina Estética

Medicina Estética requer a verticalização do conhecimento médico e o conseqüente estudo e desenvolvimento da ciência para a aplicação de um conjunto de atos, procedimentos médicos, orientações e atenção psicológica, hábitos de vida e alimentares, estudos e conhecimentos farmacológicos de produtos equipamentos e materiais além de recursos tecnológicos destinados a prevenir, identificar e corrigir ou alterar conformações anatômicas e inestetismos decorrentes de patologias orgânicas congênitas ou adquiridas, acidentes, iatrogenias ou do próprio envelhecimento natural que afetam as relações biopsicosociais dos indivíduos.

A Medicina Estética realiza um programa de Medicina Social, preventiva, curativa e reabilita o indivíduo para a sua reintegração social, familiar e ao trabalho, tendo com objetivo principal a construção ou a reconstrução do equilíbrio psicofísico do ser humano.

Os procedimentos aplicados na Medicina Estética são considerados atos médicos que requerem uma abordagem do paciente de forma abrangente, que pressupõe uma anamnese especial, exame físico e formulação de diagnóstico clínico e diferencial, indicação e realização de tratamento clínico e/ou cirúrgico, mediante análise de eventuais contra-indicações relativas ou absolutas, formulação de prognóstico, orientações individuais e gerais quanto à prevenção de doenças, alteração de função de órgãos ou agravos à saúde relacionados com fatores geradores de inestetismo.

Desenvolvido por AgênciaWn - Criação de sites e Loja Virtual